Cultura
20 Maio de 2022 | 12h11

O livro deve ter a protecção do estado: Carmo Neto

A Academia de Letras de Angola realizou esta quinta-feira, mais um encontro, cujo objectivo foi debruçar-se sobre a vida e obra do escritor angolano Carmo Neto. A conversa proferida pelo próprio escritor com moderação de António Fonseca, registou a participação de individualidades da vida académica e social de Angola, Brasil, Portugal e Itália.

O encontro em que foi destacado o seu forte senso de humanismo e advocacia a favor da promoção e valorização do livro, Carmo Neto acentuou o papel do Estado para uma maior produção e circulação do livro.
 "O Decreto Presidencial para a Política Nacional do Livro e a Promoção da Leitura foi aprovado em 2011, mas necessita de ser regulamentado para viabilizar medidas a favor das actividades livreira, editorial e gráfica”. Referiu o escritor.
Carmo Neto que é membro fundador da Academia Angolana de Letras disse também que a regulamentação da política do livro poderá estimular o desenvolvimento da actividade editorial em Angola, promover o crescimento da indústria livreira, incentivar as instituições financeiras a estabelecerem programas e linhas de crédito para o livro, bem como atribuir tarifas especiais para o transporte do livro pelos serviços de correios e pelos transportes ferroviários, rodoviários, aéreos, marítimos e fluviais, bem como garantir a redução de taxas e tarifas pelo desembaraço aduaneiro do livro científico, literário, artístico ou pedagógico e dos meios destinados à indústria gráfica.
Para o escritor, jornalista e jurista o "livro deve ter a proteção do estado”.
Durante o debate, Carmo Neto levantou outras questões ligados a circulação do livro em Angola e no espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), referindo que "temos cada vez menos livrarias em Angola em Angola. Na prática, acabaram-se as livrarias” . 
Apelou a uma maior necessidade da existência de convénios e mais encontros entre escritores da comunidade, com vista a fazer fluir o livro e ler-se mais.
A próxima Conversa à Quinta-feira da AAL acontece no dia 26 do corrente, às 18h30 e estará inserida nas celebrações do Dia de África, cujo temo será "De ÁFRICA para as Áfricas diasporizadas do Mundo. O encontro vai contar com a participação de Inocência da Mata, Patrícia Silva, Silvany Euclénio e Dagoberto Fonseca.
Como sempre os interessados em participar podem  acessar o ID: ID: 698576385 com a senha AAL2022.



Autor: Leda Dombaxi

Fonte: TPA Multimédia