Internacional
26 Maio de 2022 | 16h23

Níger anuncia morte de 40 presumíveis membros do Boko Haram no lago Chade

O governo do Níger anunciou hoje a morte de cerca de 40 alegados membros do grupo extremista islâmico Boko Haram, numa operação realizada na noite de terça, em ilhas do lago Chade, na fronteira com o Chade.

O anúncio consta de um comunicado do Ministério da Informação nigerino em que se lê que "na noite de terça para quarta-feira, uma centena de combatentes do Boko Haram a bordo de quatro grandes canoas e uma embarcação com peças de artilharia tentaram uma acção de força contra elementos nas ilhas do lago Chade".

"A reacção enérgica destes obrigou os atacantes a fugir, com muitos mortos. Na operação foram neutralizados [mortos] cerca de 40 combatentes e recuperado muitas armas, munições e explosivos, além de material militar", acrescentou.

Do lado das forças governamentais, o comunicado disse que pelo menos sete militares ficaram feridos devido à explosão de um engenho explosivo à passagem de um veículo militar pela área.

O Ministério da Informação revelou que "os efetivos que participam na operação 'Saúde no Lago' continuam a controlar as áreas inimigas conquistadas nas ilhas do lago Chade".

O comunicado foi publicado um dia depois de Niamey anunciar a morte de 65 suspeitos de terrorismo numa série de operações realizadas na última semana na parte ocidental do país, abalada nos últimos anos pelo aumento da insegurança devido aos ataques de grupos extremistas islâmicos.

O país enfrenta uma ameaça terrorista na sua parte ocidental da parte da filial da Al-Qaida no Mali, do Grupo de Apoio ao Islão e Muçulmanos (JNIM) e do grupo Estado Islâmico no Grande Saara (ISGS).

A região de Diffa, banhada pelo lago Chade, é palco de ataques relativamente frequentes do Boko Haram e de um movimento dissidente, o grupo Estado Islâmico na África Ocidental (ISWA).

Fonte: NM