Cultura
08 Janeiro de 2022 | 16h21

Ministro aponta rádio como meio de preservação da cultura e identidade nacional

O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, afirmou, este sabado, que a rádio deve servir como meio de propagação e preservação da cultura e identidade nacional.

Ao falar no lançamento da Rádio Cultura de Angola, do grupo Rádio Nacional de Angola (RNA), Manuel Homem referiu que o papel da rádio é abrangente, por ser um dos meios de comunicação que chega até às zonas mais distantes dos centros urbanos.

A emissora,  que vai funcionar em frequência 96.5, em Frequência Modelada (FM), vai ser de alcance nacional e especializada para a promoção e divulgação dos conteúdos culturais, nacionais e internacionais.

Segundo o ministro, com o lançamento da Rádio Cultura de Angola é a demonstração de que os valores da identidade cultural terão um canal próprio para serem discutidos, analisados e noticiados permanentemente.

"Pretendemos que o projecto aborde, sobretudo, os aspectos da nossa cultura que contribuem para a unidade nacional, reconciliação e a pacificação dos espíritos, pois como dizia o poeta maior, a cultura fortalece a nação”, salientou.

Por sua vez, o presidente do Conselho de Administração da RNA, Pedro Cabral, sublinhou que  com o lançamento de um canal de especialidade dedicado à cultura nas suas mais variadas dimensões, a Rádio Nacional de Angola mostra que os ideias que norteiam o serviço público da estação mantêm-se "bem vivos”.  

Para si, a Rádio Cultura de Angola vai abordar a diversidade cultural do país, desde os usos, hábitos e costumes, às diferentes manifestações artísticas, nas suas 24 horas de emissão.

"Nas 24 horas de emissão diária vão ver reflectidos os movimentos culturais espalhados por Angola. Os artistas, os críticos e todos aqueles que contribuem para o enriquecimento do nosso mosaico cultural encontrarão nesta rádio um suporte para a divulgação das suas obras e ideias", disse.

A Rádio Cultura de Angola, que passa a emitir desde hoje na frequência 96.5 FM, que emitia a Rádio FM, terá espaços para a literatura, dança, artes plásticas, cinema e audiovisual, humor, teatro, moda música folclórica e de recolha dos povos de Angola, para além da música internacional moderna e clássica.