Internacional
16 Agosto de 2022 | 15h28

Visita dos EUA a Taiwan foi uma "provocação cuidadosamente planeada"

"A aventura americana em Taiwan não é apenas uma viagem de um político individual irresponsável, mas parte de uma estratégia intencional e consciente dos EUA", afirmou o presidente russo.

Opresidente russo, Vladimir Putin, afirmou esta terça-feira, na 10.º Conferência de Segurança Internacional de Moscovo, que a visita da presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos (EUA) Nancy Pelosi, a Taiwan foi uma "provocação cuidadosamente planeada" e um movimento "deliberado" destinado a desestabilizar a região.

"A aventura americana em Taiwan não é apenas uma viagem de um político individual irresponsável, mas parte de uma estratégia intencional e consciente dos EUA. É uma demonstração arrogante de desrespeito à soberania de outros países", sublinhou também, citado pela agência Reuters.

Disse ainda que os EUA estão a tentar desviar a atenção dos seus cidadãos de "problemas sérios", como "queda do nível de vida, desemprego, pobreza e falta de indústria", estando a usar Moscovo e Pequim, "que estão a defender o seu ponto de vista".

Por fim, referiu que os países ocidentais estão a procurar estender um "sistema semelhante à NATO" para a região do Pacífico na Ásia.

As relações entre os Estados Unidos e a Rússia - que lidera uma ofensiva militar na Ucrânia desde 24 de fevereiro - vive um período de tensão sem precedentes.

Alvo de uma série de sanções ocidentais muito pesadas devido ao conflito na Ucrânia, a Rússia busca fortalecer as suas relações com os países da África e da Ásia, particularmente com a China.

A Rússia já havia descrito a visita de Pelosi a Taiwan - que decorreu no início de agosto - como uma "provocação", considerando que Pequim tem o direito de tomar as "medidas necessárias para proteger a sua soberania".