Internacional
02 Junho de 2022 | 09h51

"Já estava na hora". Biden saúda primeira chefe mulher das Forças Armadas

O Presidente norte-americano, Joe Biden, saudou ontem a almirante Linda Fagan como nova comandante da Guarda Costeira dos Estados Unidos e a primeira chefe de serviço feminina das Forças Armadas, declarando que "já estava na hora".

"Não há ninguém mais qualificado para liderar as orgulhosas mulheres e homens da Guarda Costeira, e também será a primeira mulher a servir como comandante da Guarda Costeira, a primeira mulher a liderar qualquer ramo das Forças Armadas dos Estados Unidos", disse. disse Biden.

"A carreira pioneira da almirante Fagan mostra aos jovens a entrar nos serviços que (...) não há portas fechadas para mulheres", declarou o chefe de Estado perante cerca de 2.000 convidados na sede da Guarda Costeira.

Entre os presentes estavam chefes de serviço de outros ramos militares e o secretário de Segurança Interna, Alejandro Mayorkas.

Biden acrescentou: "É assim que se parece um almirante e chefe de serviço nas Forças Armadas dos Estados Unidos" e agradeceu a Fagan por "tudo o que fez ao longo da sua carreira para abrir um pouco mais as portas da oportunidade" aos que se seguirão.

"Agora precisamos de continuar a trabalhar para garantir que a almirante Fagan seja a primeira, mas não a única. Precisamos de ver mais mulheres nos mais altos níveis de comando na Guarda Costeira e em todos os serviços", frisou o chefe de Estado.

Também a vice-presidente norte-americana, Kamala Harris, destacou o feito de Linda Fagan, usando as redes sociais para dizer que "nunca na história dos Estados Unidos uma mulher liderou um ramo das forças armadas" e a almirante "fez história".

Fagan substituiu o Almirante Karl L. Schultz.

Num breve discurso, Biden não mencionou a guerra da Rússia com a Ucrânia, mas disse que "as escolhas que o mundo faz hoje vão "moldar a direção do mundo ao longo do século XXI".

O Presidente disse que o seu Governo "vai convocar a Guarda Costeira com mais frequência" para combater as ameaças das mudanças climáticas, uma vez que teve início a temporada de furacões no país, que se espera ser "o sétimo ano consecutivo dos níveis acima da média da actividade de furacões no Atlântico".

Biden também chamou a Guarda Costeira de "elemento essencial" da estratégia do Indo-Pacífico do seu executivo e disse que planeia envolver-se para se proteger contra a pesca excessiva por interesses chineses.

Fonte: JA