Internacional
01 Junho de 2022 | 10h45

Ucrânia. Papa pede que trigo não seja usado como "arma de guerra"

O Papa Francisco pediu hoje que "o trigo, um alimento básico, não seja usado como arma de guerra" e expressou a sua preocupação com o bloqueio das exportações deste cereal, importante na alimentação dos países mais pobres.

Há uma grande preocupação com o bloqueio do trigo, do qual dependem milhões de pessoas, especialmente os países mais pobres", disse Francisco no final da audiência geral realizada hoje na praça de São Pedro.O Papa fez um forte apelo para que fossem feitos todos os esforços necessários para resolver esta questão e "garantir o direito universal de as pessoas se poderem alimentar".

"Por favor, que esse grão, um alimento básico, não seja usado como arma de guerra", pediu Francisco.

Na terça-feira, os chefes de Estado e de Governo da União Europeia (UE) exigiram que a Rússia levante o bloqueio dos portos ucranianos no Mar Negro e permita a exportação de alimentos deste país, devido à ameaça de uma crise alimentar global.

A Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro e controla zonas ucranianas no sul e leste do país.

A Federação Russa é o maior exportador mundial de trigo, enquanto a Ucrânia é o quinto maior exportador e, juntos, fornecem 19% da oferta mundial de cevada, 14% do trigo e 4% do milho do mundo, representando mais de um terço das exportações mundiais de grãos, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

"As interrupções na cadeia de abastecimento e logística da produção de grãos e oleaginosas na Ucrânia e na Federação Russa, bem como as restrições às exportações russas, terão repercussões significativas na segurança alimentar", declarou o diretor-geral da FAO, Qu Dongyu.

"Isso é especialmente verdadeiro no caso de cerca de 50 países que obtêm 30 % ou mais de sua oferta de trigo" de ambos os países, sublinhou o responsável.

Fonte: NM