Internacional
30 Maio de 2022 | 15h50

Petro Poroshenko autorizado a sair da Ucrânia após duas tentativas

O antecessor de Zelensky está em julgamento desde 2021 sob a acusação de traição por alegada compra de carvão no Donbass, detido pelos separatistas russos.

O ex-presidente ucraniano, Petro Poroshenko, foi autorizado esta segunda-feira a deixar a Ucrânia num posto fronteiriço com a Polónia após duas tentativas, segundo revela a agência de notícias AFP, que cita o partido Solidariedade Europeia.

"Após as pressões dos deputados do Parlamento Europeu e dos membros dos governos da União Europeia, Petro Poroshenko conseguiu viajar ao exterior para participar na cimeira e no congresso do Partido Popular Europeu, em Roterdão”, lê-se numa nota do partido.

O antecessor de Volodymyr Zelensky está em julgamento desde 2021 sob a acusação de traição por alegada compra de carvão no Donbass, detido pelos separatistas russos, entre 2014 e 2015. No sábado, acusou as autoridades ucranianas de o impedirem de sair do país por razões políticas, depois de tentar atravessar a fronteira para a Polónia duas vezes.

Segundo a imprensa local, membros do seu partido afirmaram que não existiam razões para travar a saída do ex-presidente, sob a lei marcial, uma vez que tinha documentos que provavam que viajava oficialmente como membro do parlamento.

Poroshenko, que é membro da Comissão parlamentar para a integração na União Europeia (UE), disse que estava a caminho da Lituânia para participar numa reunião da Assembleia Parlamentar da NATO.

De acordo com o seu partido, na sexta-feira foi impedido de atravessar a fronteira para a Polónia com o argumento de que um código (QR) usado para autenticar um documento não estava a funcionar, enquanto no dia seguinte os funcionários disseram que lhe faltavam documentos.

Fonte: NM