Economia
12 Maio de 2022 | 14h14

Angola conforma legislação para estabilizar produção petrolífera

Angola alterou a legislação para reiniciar a licitação de novos blocos e aumentar a exploração de petróleo, como medidas para estabilizar a produção de hidrocarbonetos no país, soube hoje a Angop.

O facto foi revelado, quarta-feira, pelo ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, após apresentar aos investidores o novo ambiente do sector no país, à margem da Conferência Internacional sobre Mineração em África, que termina esta quinta-feira, na Cidade do Cabo, na África do Sul.

O ministro reconheceu que a produção estava em declínio devido a falta de investimentos, nos últimos anos, daí ter-se alterado a legislação para reiniciar a licitar novos blocos e aumentar a exploração.

Diamantino Azevedo declarou, na ocasião, que em quatro anos do actual Governo, procedeu-se três licitações de blocos e tem-se agora uma legislação para permitir negociação directa.

O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás lembrou que a última licitação de blocos aconteceu em 2011, a falta de manutenção a atractividade da legislação e o ambiente adequado "provocaram todo esse declínio”.

Referindo-se às petrolíferas BP e Eni, que fizeram uma "joint venture” em Angola, Diamantino Azevedo informou que elas não estão a sair, e avançou que a Eni está a desenvolver um bom trabalho em Angola.

África do Sul: Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo © Fotografia por: Yambeno Daniel

Fonte: ANGOP