Economia
10 Maio de 2022 | 08h43

African Mining Indaba arranca com nove empresas angolanas

Nove empresas angolanas da área dos diamantes participam, desde esta segunda-feira, na African Mining Indaba, o maior evento africano de investimentos no sector Mineiro, arrancou ontem, em Cape Town (Cidade do Cabo), África do Sul.

A delegação angolana ao maior evento africano de investimentos no sector Mineiro é chefiada pelo ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo.
Ao Mining Indaba estão presentes mais de seis mil delegados oriundos de todo o mundo. A abertura do evento foi agraciada com a presença dos presidentes das Repúblicas da África do Sul, Botswana, Zâmbia e Zimbabwe, respectivamente Cyril Ramaphosa, Mokgweetsi Masisi, Hakainde Hichilema e Emmerson Mnangagwa.

Ontem foi também o dia reservado para Angola expor as potencialidades do Laboratório de Diamantes, do Centro de Formação Técnico Profissional e de outros investimentos que a Endiama efectuou nos últimos anos.

O Laboratório de Diamantes de Angola está instalado num edifício de dois pisos, na província da Lun-da-Sul, e nele prepara-se, analisa-se e caracteriza-se as amostras de material kimberlítico e aluvionar de apoio à prospecção e pesquisa de diamantes.

A decorrer até quinta-feira, o país apresenta-se ao mundo, no Mining Indaba 2022, com as empresas públicas Eendiama e Sodiam, as Sociedades Mineiras de Catoca, Cuango, Chitotolo, Uari, Yetwene e Furi e com a empresa Kapu Gems, vocacionada para a lapidação de diamantes.

Para a Mining Indaba 2022 Angola adoptou o lema "O potencial do diamante angolano”, um modelo de participação conjunto das empresas nacionais presentes no certame. Durante a conferência, Angola espera identificar e estabelecer parcerias no domínio da prestação de serviços e captar investimentos para os projectos mineiros Chitonga (Huambo) e Mucuamba (Lunda-Sul).

A administradora da En-diama para Geologia e De-senvolvimento Mineiro, Ana Feijó, disse, na antevisão do evento, que Angola vai mostrar um novo ambiente legal e de negócios no país e procurar captar investimentos para o sector de recursos minerais sólidos. Destacou que o país vai apresentar um painel com o tema "Angola: o destino de escolha para o investimento mineiro, as oportunidades de negócio e as potencialidades geológicas do país”.

Mining Indaba é uma conferência internacional de minas, que se realiza anualmente na África do Sul - houve uma interrupção em 2020 e 2021, devido a Covid-19 -, com vista a captar investimento para o sector dos minerais dos países do continente africano. Na última edição, em 2019, o encontro reuniu cerca de seis mil delegados.

Fonte: JA