Economia
09 Maio de 2022 | 13h32

Cidade do Cabo “brilha” para Mining Indaba

Após interrupção de duas edições da tradicional Conferência Internacional sobre Mineração, devido à Covid -19, conhecido há 29 anos por Mining Indaba, a Cidade do Cabo reergue-se para acelerar a industrialização das minas em África.

As edições de 2020 e 2021 foram interrompidas devido à morbi-mortalidade da pandemia da Covid-19, impedindo a Mining Indaba de desempenhar o seu papel de conexão da comunidade global de mineração e sua importância na formação da indústria de mineração africana.

A mineração de Indaba tem sido um marco no calendário e na indústria da Cidade do Cabo, uma cidade portuária na costa sudoeste da África do Sul e uma península ao pé da imponente Montanha da Mesa.

Mais de 6.500 especialistas em mineração visitam a cidade habitada por mais de quatro milhões, todos os anos, para cinco dias poderosos de networking. 

A conferência, a decorrer no Cape Town International Convention Center, inaugurado em Junho de 2020, tem um impacto significativo na economia regional e da África do Sul, sexto país que mais produziu diamantes em 2020, numa lista liderada pela Rússia, Botswana, Canada, República Democrática do Congo, Austrália e Angola.

Em 2020, esses sete maiores produtores mundial de diamantes, que se fazem representar no certame com multinacionais, produziram 107 milhões de Quilates, representando 97 por cento do volume total de produção.

Além de contribuir com 177 milhões de randes para o PIB sul-africano (dos quais 80% eram de fontes internacionais), a Mining Indaba gerou 274 empregos anuais em tempo integral no país e contribuiu com 22 milhões randes para os impostos nacionais.

Ao contrário dos anos anteriores, em que a conferência decorria no início de Fevereiro, esse ano, excepcionalmente, realizar-se de 9 a 12 de Maio, devendo voltar no seu calendário normal em 2023.

Maior evento africano de investimentos mineiro


African Mining Indaba (Mining Indaba) dedica-se exclusivamente à capitalização e desenvolvimento de mineiros em África.

Este evento tem sucesso há mais de 27 anos, com uma perspectiva única e abrangente da indústria mineira africana, reunindo visionários e inovadores em toda a cadeia de valor para discutir e traçar estratégias para a indústria petrolífera, commodities, energia, formação de parcerias nos vários domínios, assim como o impacto do sector dos minerais no sector privado.

Além disso, a Mining Indaba continua a apoiar a educação, desenvolvimento de carreira, desenvolvimento sustentável e outras causas importantes na África.

Cidade do Cabo - exemplo africano de industrialização

A Cidade do Cabo faz parte do município metropolitano da Cidade do Cabo, na província do Cabo Ocidental. É a capital legislativa da África do Sul (alberga o parlamento ou a Assembleia Nacional).

A indústria mineira na Cidade do Cabo foi crescendo durante os últimos 6 anos. Pelo menos 6 000 mineiros são agora empregados na indústria mineira desde 2002. A cidade foi recentemente nomeada como a cidade mais empreendedora da Africa do Sul.

O Cabo Ocidental é uma importante região turística na África do Sul. Nesta área, a indústria do turismo é responsável por 9,8% do Produto Interno Bruto da província e emprega 9,6% dos trabalhadores da província.

Em 2004, mais de 1 500 000 turistas estrangeiros visitaram a região.

Centro económico da província do Cabo Ocidental, a Cidade do Cabo tem o principal porto e aeroporto, descoberto por índios e portugueses (Bartolomeu Dias, em 1486, e Vasco da Gama, 1497), mas desenvolvido pelo holandês Jan Van Riebeek (1652).

Construída entre montanhas e planícies, em termos de habitantes é a segunda cidade mais populosa do país, ficando atrás apenas de Joanesburgo.

Muito famosa pelo seu porto natural, incluindo marcos bem conhecidos, como a montanha da Mesa e a Baía da Mesa, é um dos mais populares destinos turísticos nacionais.

A Cidade do Cabo é, também, o segundo mais populoso núcleo urbano, financeiro e cultural da África de Sul, depois de Joanesburgo.

Tem quatro grandes pólos comerciais, como o Cape Town Central Business District, contendo a maioria das oportunidades de emprego, escritórios, o Century City, o Bellville / TygerValley e o Claremont comercial, onde estão estabelecidos muitos escritórios e sedes corporativas.

A maior parte das empresas, com sede na cidade, são as companhias de seguros, editores, designers de moda, companhias de navegação, empresas petroquímicas, arquitetos e agências publicitárias.

Grande parte da produção é comercializada através do Porto da Cidade do Cabo ou pelo Aeroporto Internacional da Cidade do Cabo.

A Província é também um centro de desenvolvimento da energia para o país, com a já existente estação de energia nuclear de Koeberg que fornece energia para as necessidades do Cabo Ocidental.

 Recentemente, exploradores de petróleo já descobriram petróleo e gás natural ao largo da costa do Oceano Atlântico.

Angola presente na Conferência Mining Indaba © Fotografia por: Yambeno Jamba

Fonte: ANGOP