Economia
12 Abril de 2022 | 12h23

Angola reitera cooperação com Fórum de Macau

O ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, reiterou, domingo, o comprometimento de Angola com o Fórum de Macau, por ser uma plataforma que está a dinamizar o reforço das relações económicas e comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Manuel Nunes Júnior fez esse pronunciamento em representação do Governo de Angola, na abertura da cerimónia da Reunião Ex-traordinária Ministerial do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países  de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), que decorreu de forma híbrida.



Segundo o governante, o Fórum de Macau tem dinamizado acções no sentido da  formação dos recursos humanos, no financiamento para a construção de infra-estruturais, bem como para o aumento da capacidade de produção dos países membros.

No entender do ministro, essa plataforma (Fórum de Macau) tem produzido sucessos significativos, além de permitir o intercâmbio cultural e o fomento do turismo e mecanismo de assistência bilateral, desde Outubro de 2003, altura da criação da mesma.

Na ocasião, reafirmou o interesse do país de tudo fazer para o sucesso desse Fórum, destacando as reformas para a consolidação da democracia e do Estado de direito e o estabelecimento de uma economia de mercado capaz de diversificar a verdadeira economia angolana, diminuir a dependência do petróleo e garantir a prosperidade e bem-estar do povo angolano.

A propósito, na cerimónia de abertura do Fórum, o primeiro-ministro do Conselho de Estado da China, Li Keqiang, enalteceu os resultados alcançados pelo Fórum de Macau.

O chefe do Governo da China adiantou as propostas em relação ao reforço da relação entre a China e os Países de Língua Portuguesa e apelou para que todos os Estados defendam a paz e estabilidade em prol do desenvolvimento e prosperidade.

Fonte: JA