Economia
11 Abril de 2022 | 13h59

Certificação do Novo Aeroporto de Luanda inicia em Junho

O processo de certificação do Novo Aeroporto Internacional de Luanda (NAIL) inicia em Junho deste ano para permitir a operacionalização do mesmo, no final de 2023, com a recepção de aviões de diferentes companhias aéreas que pretendam voar para Angola.

A informação foi avançada pelo ministro dos Transportes, Ricardo D`Abreu, durante a visita que o Presidente da República, João Lourenço, efectuou, sábado, às obras daquela infra-estrutura, localizada na comuna do Bom Jesus, no município do Icolo e Bengo.

Por ocasião da visita, o Titular do Poder Executivo manteve um encontro, à porta fechada, com os membros da direcção da empreiteira Aviation Industry Corporation of China, da qual recebeu informações sobre o bom curso das obras.

Segundo Ricardo D`Abreu, "o processo de certificação contará com o apoio e suporte da ICAO, órgão reitor da Aviação Civil Internacional, sendo que a chancela permitirá, como é prática, Angola colocar o NAIL na rota de destaque de voos internacionais.

Acrescentou que, com o início do processo de certificação, vai ocorrer, também, "o primeiro voo-teste", em Junho deste ano, para garantir a aceitação final do projecto.

Contudo, o ministro Abreu não especificou o tipo de avião que vai inaugurar a pista do Novo Aeroporto de Luanda, mas salientou que o mais importante será iniciar o processo de certificação, nos padrões exigidos pela segurança aeronáutica internacional.

A propósito, Ricardo D`Abreu anunciou também à imprensa que o processo de certificação do Aeroporto Internacional de Catumbela, na província de Benguela, já está em curso, devendo ficar concluído no decurso deste ano 2022.

Em relação ao orçamento do novo Aeroporto Internacional de Luanda, o ministro referiu que o limite para a conclusão do projecto conseguido pelo Executivo, em 2018, ronda os mil e quatrocentos milhões de dólares.

"Até ao momento, o nível de execução financeira anda à volta de 40 por cento do valor, porquanto, precisamos de continuar a execução financeira, para que o ritmo da execução física não pare”, esclareceu.

O ministro dos Transportes disse ainda, na ocasião, que estão previstas, igualmente, a existência de um conjunto de infra-estruturas de suporte à actividade do aeroporto, que serão executadas pelo sector privado.

Ricardo D`Abreu assegurou que, com a entrada em funcionamento do Novo Aeroporto Internacional de Luanda, o actual Aeroporto 4 de Fevereiro não será desactivado, sendo que este continuará aberto à recepção de voos executivos e charter.

Em relação às formas de acessibilidade e ou transportes, referiu-se ao metro de superfície, comboio e veículos rodoviárias, e que existem projectos em execução.

Neste aspecto, alertou sobre a necessidade de mudança de hábitos comportamentais dos condutores, para uma melhor regulação do trânsito, permitindo, futuramente, que o percurso rodoviário, desde o Largo da Independência, até ao NAIL seja feito em pelo menos hora e meia.

Vista parcial do novo Aeroporto Internacional de Luanda (Arquivo) © Fotografia por: Divulgação (all.Angola)

Fonte: ANGOP