Notícias
20 Março de 2022 | 09h56

SADC aprova USD 1,4 milhão para Centro de Operações Humanitárias

A Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) aprovou, na noite de sábado, um valor na ordem de 1,4 milhão de dólares norte-americanos (USD), para tornar funcional o Centro de Operações Humanitárias (SHOC), com sede em Nacala, Moçambique.

O valor foi aprovado durante o Conselho de Ministros da organização e deverá servir para as actividades "provisórias de início" do funcionamento do Centro, num período de três anos (2022 a 2025).

Com esse passo, a organização pretende coordenar de forma antecipada as resposta aos riscos de desastres naturais que vão se tornando frequentes na região.

Nos últimos anos a região austral de África tem estado a registar um aumento na frequência, magnitude e impacto de ciclones, secas e inundações que ameaçam reverter os ganhos de desenvolvimento.

SADC aprova orçamento 2022-2023

No encontro, que teve lugar em Lilongwe, no Malawi, a SADC também aprovou o Plano Corporativo Anual e o orçamento da organização para o Ano Financeiro de 2022/2023, cujo valor não foi divulgado.

Trata-se de documentos para apoiar a implementação das prioridades da SADC, nos termos do Plano Indicativo de Desenvolvimento Estratégico Regional (RISDP) para o período 2020-2030.

No encontro, em que Angola esteve representada por uma delegação encabeçada pelo ministro das Relações Exteriores, Téte António, foi discutida a situação da pandemia Covid-19, incluindo o estado da vacinação na região.

Relativamente à Covid-19, os membros do Conselho concordaram que não devem baixar a guarda na resposta colectiva, garantindo, entre outros, um acesso equitativo às vacinas, ao mesmo tempo que devem tomar medidas para enfrentar o desafio da hesitação e do cepticismo vacinal entre a população regional.

Roteiro de Industrialização da SADC

O comunicado final refere que a reunião, que decorreu sexta-feira e sábado, analisou também o estado de implementação da Estratégia e Roteiro de Industrialização dos países membros da organização para 2015-2063.

Esta, prossegue o documento, é uma agenda padrão para impulsionar a industrialização e o comércio, reconhecendo que a transformação económica e o desenvolvimento dependem de uma região industrializada e integrada.

A SADC defende uma ligação económica forte em que se verifica o aumento do comércio intra-regional na base da interligação dos mercados dos Estados membros.

Por último, o Conselho de Ministros elogiou os Estados membros, pela solidariedade e apoio ao destacamento da Missão da SADC em Moçambique (SAMIM), que está a resultar na melhoria da situação em Cabo Delgado.

O documento sublinha, que no caso de Cabo Delgado (Moçambique), os deslocados internos estão a regressar às suas casas e a retomar as suas vidas normais.

Integram a SADC a África do Sul, Angola, Botswana, Ilhas Comores, República Democrática do Congo, Lesotho, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, Eswatíni, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe.

Fonte: ANGOP