Sociedade
06 Março de 2022 | 09h34

Dom Tirso Blanco já repousa no cemitério do Moxico

Num ambiente de dor e consternação, os restos mortais de Dom Tirso Blanco, bispo da Diocese do Luena, falecido, no passado dia 22 de Fevereiro, em Verona, Itália, foram, este sábado, a enterrar, no Moxico, em cumprimento à vontade do missionário argentino.

A cerimónia fúnebre, antecedida de Missa de Acção de Graças, com duração de duas horas e meia, foi orientada por Dom Manuel Imbamba, arcebispo metropolitano da Arquidiocese de Saurimo e presidente da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), no pátio do bispado, residência oficial onde Dom Tirson viveu vários anos.

Seguidamente, o cortejo fúnebre partiu para o Cemitério Municipal do Luena, acompanhado por mais de centenas de pessoas, entre fiéis,  membros do Governo e comunidades locais, que prestaram homenagem a um sacerdote que dedicou parte da vida a Angola. 

Antes do sepultamento, foram entoados cânticos que enalteceram a estatura espiritual do malogrado e a sua entrega incondicional ao serviço sacerdotal.

Dom Tirso Blanco, lê-se numa mensagem de condolência, foi um pastor que trabalhou de forma incansável e entusiasmada na  procura de ovelhas perdidas para o rebanho de Cristo.

"O seu zelo apostólico desafiou  estradas, rios, pontes, chuvas e distâncias, trabalhou muito na formação do clero local e dos catequistas, bem como para o povoamento missionário da diocese local”, lê-se na mensagem.

"Ele não poupou a sua vida para semear o amor, o bem, a misericórdia e a solidariedade. Foi um líder e visionário nato, na busca de soluções para as várias situações”, destacou a nota.

O governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, considerou que a única forma  de homenagear o bispo é continuar a trabalhar na melhoria de vida da população.

Fonte: JA