Notícias
26 Fevereiro de 2022 | 15h19

Empresas pesqueiras já podem obter crédito para compra de equipamentos

As micro, pequenas, médias e grandes empresas que exercem a actividade pesqueira no país já podem recorrer ao Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) para obterem crédito (produtos financeiros), para aquisição ou manutenção dos equipamentos de pesca.

Para o efeito, os empresários do sector das pescas têm a possibilidade de escolher um dos quatro produtos financeiros apresentados pelo BDA, no acto inaugural da primeira edição da Feira Nacional da Pesca Artesanal Marítima, Continental e Aquicultura, que decorre de 25 a 27 deste mês, em Luanda.

As quatro opções de crédito disponível circunscrevem-se na obtenção do "Capital circulante” (dinheiro para atender às necessidades imediatas dos aquicultores), "Máquinas e equipamentos” (compra de chatas/canoas, laboratórios, máquinas de gelo, gaiola de reprodução e engorda, compressores e painéis de congelação, meios de transportes, entre outros instrumentos utilizados na actividade pesqueira.

Fazem parte do conjunto dos produtos financeiros as "Infra-estruturas”, que servem para financiar a construção, reabilitação ou ampliação de estruturas de apoio a exploração dos recursos pesqueiros, assim como "Projectos de investimento” (surgimento de novos projectos de A a Z, modernização/expansão de projectos estruturantes dos pequenos, médios e grandes aquicultores).

Sem avançar o valor global disponível para financiar as empresas pesqueiras, o administrador executivo do BDA, Clemente Paulo, afirmou que as condições e o limite máximo de financiamento variam de acordo com a dimensão e o pacote financeiro que cada empresa escolher.

Por exemplo, para o sector das pescas, uma pequena empresa pode solicitar um crédito de 12 milhões 710 mil kwanzas, enquanto a média empresa tem a possibilidade de ter Kz 152 milhões 750 mil e a grande empresa 891 milhões 750 mil kwanzas, caso escolham o produto financeiro "Capital circulante”.

Já para actividade aquícola, enquadrada no mesmo pacote financeiro, uma micro empresa pode obter oito milhões 200 mil kwanzas, sendo Kz 244 milhões 500 mil para pequena empresa, mil milhão 467 milhões e nove mil milhões 170 milhões para grande empresa.

Ao fazer a apresentação pública do Programa de Financiamento à Pesca e Aquicultura do BDA, na Feira Nacional da Pesca, a fonte sublinhou que a iniciativa visa conferir maior consistência à solução de financiamento para as iniciativas empresariais deste sector.

Promover o desenvolvimento da pesca marítima e alavancar a actividade aquícola no país, através da modernização dos meios, metodologias de captura e introdução de novas tecnologias, para o incremento da produção de pescado e subprodutos de origem marítima também constam dos objectivos do lançamento desse programa.

Segundo Clemente Paulo, os novos pacotes financeiros vão permitir, igualmente, segmentar os potenciais clientes ou empresas candidatas em função da dimensão da actividade económica, bem como definir o limite de exposição financeira para cada subsector.

"A exposição do banco ou disponibilização do crédito vai depender, essencialmente, da capacidade ou dimensão da empresa que solicita o financiamento, visando diminuir o risco e ajudar os empresários a concretizarem os seus objectivos consoante a realidade de cada operador”, esclareceu.

Na ocasião, o presidente da Associação Nacional dos Aquicultores (ANAQUI), Saraiva dos Santos, considerou valiosa a iniciativa do BDA, por possibilitar melhorar a actividade aquícola no país.

Em declarações à ANGOP, o responsável defendeu a necessidade de se adequar os projectos financeiros à realidade das regiões do país, tendo em conta as especificidades de cada província.

Apelou ainda à necessidade de se apostar, fortemente, na capacitação e formação de quadros em matérias relacionadas com aquicultura, para que se consiga atingir os objectivos preconizados.

Além do Programa de Financiamento à Pesca e Aquicultura, o BDA também lançou, em Março de 2021, outros quatro produtos financeiros para o sector agrícola, nomeadamente "Crédito de campanha agrícola”, "Máquinas e equipamentos agrícolas”, "Infra-estruturas de apoio à produção agrícola” e "Projectos de investimento agrícola”.

No mesmo âmbito, apresentou ainda, em Agosto de 2021, mais três pacotes financeiros para o sector da agropecuária: "Bovinicultura de corte”, "Suinicultura”, "Capinicultura” e "Ovinicultura de corte”. 

Enquadrada na "Semana dos oceanos”, assinalada neste mês, a primeira edição da Feira Nacional da Pesca Artesanal Marítima, Continental e Aquicultura tem como objectivo criar espaço de interacção entre as cooperativas, associações dos pescadores, vendedoras, processadoras de pescado exporem os seus produtos e fomentar cada vez mais o negócio dos recursos pesqueiros.

O evento, que conta com participação de mais de 70 cooperativas e várias empresas do sector, é uma realização do Ministério da Agricultura e Pescas, em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

Fonte: ANGOP