COVID-19
22 Janeiro de 2022 | 11h49

Fronteira Angola/Namíbia reabre em Fevereiro

A reabertura da fronteira Angola/Namíbia está prevista para o dia 1 de Fevereiro, anunciou, esta sexta-feira, em Ondjiva, província do Cunene, o ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Pereira Furtado.

A província do Cunene partilha 460 quilómetros de fronteira com a República da Namíbia, sendo 340 terrestre e 120 fluvial, que se encontra encerrada desde Março de 2020, no quadro das medidas de prevenção contra à Covid-19.

O anúncio foi feito durante uma reunião bilateral entre as delegações de Angola, chefiada pelo ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Pereira Furtado, e  pelo  ministro do Interior Imigração e Proteção Segurança da Namíbia, Alberto Kahana.

Francisco Pereira Furtado disse que, para a sua reabertura, os dois governos vão restabelecer regras próprias visando a garantia da estabilidade na movimentação dos cidadãos e no controlo da propagação da pandemia de um país para o outro.

 "Devemos impor as regras para que haja disciplina, de modo a que o comportamento dos nossos cidadãos não prejudique a pretensão de se desenvolver, com sucesso, para a estabilidade comum”, explicou.

O ministro disse que será estabelecida a obrigatoriedade de apresentação do teste negativo da Covid-19, com validade até 72 horas antes, para além que só serão permitidos os cidadãos com dose completa da vacina, entre outras medidas.

Frisou que quem não cumprir com as normas estabelecidas deverá  pagar multa nos dois países.

"Devemos manter estes princípios para protegermos as nossas populações, garantir a segurança dos dois países, estabilidade e desenvolvimento das suas economias”, referiu.

Francisco Pereira Furtado pediu ainda o reforço da fiscalização da fronteira, pois, neste período que se encontra encerrada, constatou-se a detenção de centenas de cidadãos por violação da mesma, sendo uma das vias de propagação da doença de um país para o outro.

Por seu turno, o ministro do Interior de Imigração e Protecção de Segurança da República da Namíbia, Alberto Kahana, garantiu que no lado do seu país as condições estão devidamente criadas para a reabertura da fronteira.

Disse que esta medida vai proporcionar aos angolanos a compra dos bens diversos, assistência médica e medicamentosa e lazer.

Alberto Kahana afirmou que "a doença está entre todos, o mais importante é continuar a se aplicar as medidas de prevenção, para que as duas Nações estejam bem protegidas”.

Fonte: ANGOP