Ciência
06 Dezembro de 2021 | 15h33

Descobertos no Egito 2 túmulos de 2.500 anos, contendo cadáveres com línguas de ouro.

Datados da última dinastia a governar o Antigo Egipto, na cidade de Minia foram encontrados dois túmulos contendo corpos bem preservados com línguas de ouro.

O Ministério do Turismo e Antiguidades no Cairo anunciou no domingo (6) a descoberta de túmulos que remontaram à Dinastia Saite (664-525 a.C.) pela missão arqueológica espanhola da Universidade de Barcelona, informou o jornal Cairo Scene.

Segundo o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, Mostafa Waziri, em um dos túmulos encontravam-se corpos de indivíduos desconhecidos com línguas de ouro.
Um caixão de pedra calcária com uma tampa em forma de mulher foi encontrado dentro do túmulo, disse, acrescentando que restos de outra pessoa desconhecida também foram descobertos nas proximidades.


Waziri notou que, segundo mostraram os estudos preliminares, os túmulos tinham sido anteriormente abertos nos tempos antigos. Entretanto, o segundo túmulo estava totalmente vazio, e a missão o abriu pela primeira vez durante a escavação.

Em adição aos dois sarcófagos, um caixão de pedra calcária com uma cabeça humana bem preservada foi descoberto no segundo túmulo, disse o diretor da missão, Hassan Amer.
Um dos recipientes continha 402 shabti feitas de faiança, isto é, estatuetas funerárias egípcias destinadas a substituir o falecido, contou o especialista.

O sítio era outrora uma cidade antiga chamada Oxirrinco, sendo considerado um dos sítios arqueológicos mais importantes na egiptologia devido a sua riqueza em artefatos, túmulos e textos em papiro que datam do Reino Ptolemaico e do Egipto Romano.

Fonte: Sputnik