Economia
22 Novembro de 2021 | 15h53

Menino inventor angolano beneficia de cinco mil euros

O novo “gênio” angolano descoberto, recentemente, na província do Bengo, Roberto João Mukeba, vai beneficiar de cinco mil euros (Kz 3.357.140), para dar continuidade dos estudos e desenvolver o seu projecto de engenharia tecnológica, numa acção solidária da Ordem dos Engenheiros Técnicos de Portugal (OETP).

De concreto, trata-se de um projecto criado por um adolescente, cuja a invenção centra-se, essencialmente, na montagem de uma máquina geradora de energia eléctrica, facto curioso que já começou a ganhar notoriedade junto da comunidade nacional e internacional. 

Segundo a Angop, fruto dessa notoriedade, a OETP "comoveu-se” com a iniciativa e prontificou-se em ser um dos padrinhos do novo talento angolano, com vista a incentivá-lo aos estudos.  

Para transformar essa intenção em realidade, a OETP, Ordem dos Engenheiros de Angola (OEA) e o Governo Provincial do Bengo assinaram, sexta-feira última (dia 19), um acordo de entendimento, para apoiar, em forma de bolsa de estudo, o inventor Roberto Mukeba. 

Após o acto da assinatura do respectivo acordo, enquadrado na realização do IV Congresso Internacional da OEA, decorrido de 18 a 19 deste mês, em Luanda, os engenheiros portugueses deram, inicialmente, 500 euros (do total de EUR 5 mil), para o inventor fazer compras do seu gosto, visando satisfazer as necessidades pessoais. 

Em declarações à ANGOP, a propósito do apoio financeiro, o bastonário da Ordem dos Engenheiros Técnicos de Portugal, Augusto Guedes, fez saber que os restantes 4.500 euros servirão para custear os estudos de Roberto Mukeba, que deverá ser apadrinhado até a conclusão do ensino superior. 

Tendo em conta a complexidade e os custos que envolvem os cursos de engenharia, o também engenheiro técnico civil apela, por outro lado, a boa vontade das demais instituições públicas ou privadas e pessoas singulares, para apoiar os novos talentos desta profissão. 

O especialista relembrou ainda que o ramo da engenharia desempenha um papel fundamental para o desenvolvimento socieconómico de cada país, facto que deve merecer a atenção de todos cidadãos, apoiando os futuros engenheiros dentro da possibilidade de cada cidadão.   

Além do dinheiro doado, exclusivamente, para o menino Roberto, o aludido acordo também contempla a disponibilidade de outros EUR 5 mil por cada ano, para apoiar a escola primária nº 708, localizada na comuna de Canacassala, município do Nambuangongo, província do Bengo. 

Segundo Augusto Guedes, o valor a ser disponibilizado servirá para reforçar a compra de materiais escolares, como lápis, borracha, esferográficas, cadernos, papel, entre outros bens gastáveis. 

"É muito importante apoiar o ensino pré-escolar e primário, por ser o viveiro dos futuros quadros de cada país”, reconheceu.

Prodígio! Menino de 12 anos cria pilha de longa duração com materiais  reciclados – Pais&Filhos

Por outro lado, o vice-governador provincial do Bengo, Agostinho da Silva, mostrou-se satisfeito com o gesto filantrópico da OETP, tendo apelado as outras organizações socioprofissionais e instituições privadas a juntarem-se à causa. 

Conforme o vice-governador, todo apoio necessário para reforçar a logística escolar é bem-vindo para o Governo Provincial, pois ajudará a incentivar a dedicação dos alunos. 

O menino inventor de 12 anoas, Roberto Mukeba © Fotografia por: Divulgação

Fonte: ANGOP