Saúde
11 Outubro de 2021 | 15h35

Ministra da Saúde que maior investimento científico

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, apelou, esta segunda-feira em Luanda, aos investigadores para um maior investimento científico sobre os cuidados de saúde primários.

Sílvia Lutucuta, que discursava via online na sessão de abertura do seminário destinado a abordar a trajectória histórica, os desafios dos cuidados de saúde primários nos países da CPLP, do ponto de vista académico e estratégico, avançou que a investigação do potencial uso do RNA nas vacinas e nas terapêuticas mais modernas não deve se afastar da investigação transnacional e da pesquisa operacional, pois permitem aos gestores sanitários desenvolverem políticas apropriadas para a diversidade dos contextos epidemiológicos, geopolíticos, económicos e sanitários.

Conforme a ministra, a pressão e as adaptações imprimidas pela Covid-19  obrigou  a uma reflexão sobre questões essenciais intrínsecas aos sistemas de saúde materno-infantil, controlo de doenças endémicas, trópicas negligenciadas, patologias emergentes e re-emergentes.

Sílvia Lutucuta referiu que muitas dessas doenças, como por exemplo o Ébola, Zika e outras patologias transmitidas por vectores, têm um grande potencial de evoluírem para verdadeiros surtos epidémicos.

Neste domínio, destacou a importância da vigilância epidemiológica, multissectorialidade e a mobilização comunitária, como factores determinantes para o sucesso dos programas comunitários a nível dos cuidados de saúde primários.  

"Este seminário tem como objectivo discutir a articulação dos cuidados de saúde primários com serviços especializados e com os serviços hospitalares”, adiantou.

A ministra destacou a importância do papel dos agentes de desenvolvimento comunitário de saúde, na base da pirâmide, de acordo com os objectivos e a visão estratégica de cada um dos nossos países.

Ministra da saúde, Sílvia Lutucuta © Fotografia por: António Escrivão (ANGOP)

Fonte: ANGOP