Sociedade
04 Outubro de 2021 | 11h36

Lunda-Sul repatria imigrantes ilegais

O Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) repatriou, na semana finda, um grupo de 38 imigrantes (35 da RDC, dois nigerianos e um zambiano), por entrada e permanência ilegal em território angolano.

Segundo o SME, os imigrantes, na ânsia do lucro fácil, dedicavam-se ao garimpo de diamantes na Lunda-Sul. 

 Das multas cobradas por infracções diversas por quatro cidadãos brasileiros, três vietnamitas, dois malianos, dois cubanos e dois senegaleses foram arrecadados, para a Conta Única do Tesouro, mais de oito milhões e 400 mil kwanzas, no último trimestre, mais de um milhão em relação a igual período do ano passado.


O SME garante que os efectivos mantêm o controlo dos mais de 180 quilómetros de fronteira fluvial, apesar do défice de meios. 


Nas acções de patrulhamento contam com o apoio das comunidades, que prestam informações valiosas. O SME deu a conhecer que no último trimestre foram registadas 12 denúncias de pessoas suspeitas no seio das comunidades, em detrimento da velha prática de "auxílio à imigração ilegal".


Durante o último trimestre o SME remeteu 99 pedidos de passaportes ordinários, 39 para prorrogação de vistos e oito de cartões de estrangeiros residentes. A província da Lunda-Sul controla 1.252 estrangeiros de diferentes nacionalidades, dos quais 794 portadores de visto de trabalho, 141com declaração provisória de requerente de asilo e 120 portadores de cartões de refugiados.