Política
29 Julho de 2021 | 09h05

PR deixa Ankara rumo a Conakry

O Chefe de Estado, João Lourenço, deixou esta quinta-feira a cidade de Ankara (Turquia), rumo a Guiné Conakry, para uma visita de Estado, nos dias 30 e 31 do corrente mês.

João Lourenço, que partiu às 09h10 locais, 07h10 em Angola, cumpriu uma intensa jornada de trabalho na capital turca, no quadro da sua primeira visita de Estado à Turquia, virada para o reforço da cooperação entre os dois países.
A missão de João Lourenço centrou-se, essencialmente, na avaliação de todo o quadro de cooperação bilateral e na identificação de novos investimentos.
Durante dois dias (27 e 28 de Julho), o Presidente da República encetou contactos com altas entidades do Estado turco e influentes homens de negócios, aos quais apresentou a visão de Angola sobre os novos rumos da cooperação bilateral.
Nessa visita à Turquia, primeira de um Chefe de Estado angolano desde o início das relações diplomáticas na década de 80, João Lourenço falou das reformas económicas em curso em Angola e do seu impacto na melhoria do ambiente de negócios.
O estadista apresentou, em detalhe, toda a legislação criada pelo seu Governo, para melhorar o ambiente de negócios e proteger os investimentos, tendo assegurado aos turcos que Angola é, nesta altura, um bom mercado para se investir.
A sua agenda de trabalho contemplou um encontro com o seu homólogo da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, com quem abordou sobre a necessidade de aprofundamente da base de cooperação e alargamento a novos sectores.
O encontro entre os dois estadistas abriu caminho às conversações entre as duas delegações oficiais, que resultaram na assinatura de 10 importantes diplomas, considerados, pelas partes, fulcrais para a melhoria do intercâmbio comercial, político, económico e diplomático dos dois Estados.
Nova era de cooperação
Foram assinados acordos em vários domínios, com destaque para o económico, comercial e diplomático, que as duas delegações consideram estratégicos e mutuamente vantajosos.
Com efeito, as partes rubricaram um Acordo sobre Isenção de Vistos em Passaportes Diplomáticos, de Serviço e Especiais, para facilitar as trocas comerciais, fomentar o turismo e a assegurar a entrada e saída regular de eventuais investidores.
Foi, também, assinado um Memorando de Entendimento sobre o Estabelecimento do Mecanismo de Consultas Políticas, entre os ministérios das Relações Exteriores de Angola e dos Negócios Estrangeiros da  Turquia.
De igual modo, rubricou-se um Memorando de Entendimento entre as academias diplomáticas dos ministérios das Relações Exteriores de Angola e dos Negócios Estrangeiros da República da Turquia.
Outro diploma assinado foi o Acordo para a Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos entre os dois países, assim como o Memorando de Entendimento entre o Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas de Angola (INAPEM) e a Organização de Desenvolvimento de Pequenas e Médias Empresas da Turquia.
Outro Memorando de Entendimento foi assinado entre os ministérios dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola e o da Energia e Recursos Naturais da Turquia, sobre a cooperação nos domínios dos hidrocarbonetos e mineiro.
No mesmo sentido, rubricou-se um Memorando de Entendimento entre os ministérios angolano da Energia e Águas e o da Energia e Recursos Naturais da Turquia sobre a cooperação nos domínios das energias renováveis e da eficiência energética.
Foi ainda apreciado um Protocolo de Cooperação entre a Televisão Pública de Angola (TPA) e a Corporação de Rádio e Televisão da Turquia (TRT), bem como um Processo Verbal da 2.ª Sessão da Comissão Conjunta sobre Cooperação Comercial, Económica e Técnica Angola–Turquia.
A Angop apurou que ficou por assinar o Acordo de Serviços Aéreos, entre os dois governos, que estabelece as bases para a efectivação da rota Luanda/Instambul, a ser operada, a partir de Outubro, pela Turkish Airlines.
Este último diploma foi um dos mais referenciados pelos empresários e pelas delegações oficiais dos dois países, que consideram um marco importante para a nova era da cooperação entre os Estados.
Ainda no quadro da assinatura de instrumentos jurídicos, para a melhoria da base de cooperação, foi assinado, pelo Conselho de Relações Económicas com o Exterior da Turquia (DEIK) e pela Agência de Investimentos Privado e Produção das Exportações (AIPEX), um Acordo para a criação de um conselho de negócios.
O instrumento, segundo o presidente da AIPEX, António Henriques da Silva, está a ser criado para proporcionar maior aproximação entre o sector empresarial turco e angolano, através das duas agências encarregues de lidarem com o investimento privado.
Segundo António Henriques da Silva, o instrumento jurídico visa, na actual dinâmica, a materialização de encontros na Turquia e em Angola, de maneira intercalada, pelo menos duas vezes por ano.
Fórum discutiu parcerias estratégicas
Outro ponto marcante da agenda oficial do Presidente João Lourenço foi a participação no Fórum Empresarial Angola-Turkia, que abordou as diferentes vantagens e oportunidades de negócios existentes nos dois Estados.
O Chefe de Estado afirmou que Angola pretende fortalecer as relações económicas, financeiras e empresariais com a Turquia, para estabelecer as bases de uma cooperação estratégica, adiantando ser pretensão atrair para o país mais investidores, que tragam capital financeiro, tecnologia avançada e conhecimento, a fim de se aumentar, com rapidez e eficiência, a produção de bens e serviços.
João Lourenço falou das vantagens reais de se investir em Angola, das principais áreas em que se pode contar com o investimento privado da Turquia, e do que os angolanos pretendem, de facto, nesta parceria estratégica com os turcos.
Durante o evento, o presidente do Conselho de Relações Económicas com o Exterior da Turquia (DEIK), Nail Olpak, anunciou um aumento da balança comercial com Angola, estimado em USD 500 milhões.
O responsável disse que a balança comercial entre ambos os Estados está cifrada em USD 178 milhões, tendo reconhecido que o comércio bilateral entre angolanos e turcos ainda não mostra o potencial real dos dois países.
Entretanto, no último dia da missão oficial, o Estadista angolano reuniu-se com sete influentes homens de negócios da Turquia, que manifestaram interesse em investir em diferentes áreas em Angola.
Angola e a Turquia têm relações diplomáticas desde 1980 e cooperam, com regularidade, em áreas como o comércio, agricultura, educação, cultura, defesa, justiça e desporto.
Segundo as autoridades dos dois Estados, as relações ainda não estão no nível desejado, mas mostraram-se esperançadas de que a cooperação conheça novos rumos em breve.
Dados referentes ao período de 2006 a 2020 indicam que empresas turcas empregaram 22,55 milhões de USD, em 16 projectos implantados nas províncias de Luanda e Uíge, nos domínios da indústria, comércio, educação e construção civil, permitindo a criação de 123 postos de trabalho, de acordo com números apresentados, recentemente, pela AIPEX.

Fonte: Angop