Política
23 Fevereiro de 2021 | 07h35

Savimbi é homenageado pela Unita

O Comité Permanente da Comissão Política da UNITA homenageou, ontem, o líder fundador, Jonas Savimbi, morto em combate a 22 de Fevereiro de 2002, na localidade de Lukusse, no Moxico.

Numa declaração por ocasião da data, a UNITA considera Jonas Savimbi "partícipe de primeira linha da gesta da luta pela Independência Nacional”, agregando, no seu percurso, "a liderança da luta do povo angolano, na conquista do Estado Democrático e de Direito e da economia de mercado”.

"A luta pela Democracia, que ele liderou de 1976 a 1991, levou à assinatura dos Acordos de Bicesse e teve, por epílogo, a consagração constitucional do Estado Democrático e de Direito e a economia de mercado, em 1992”, sublinha a declaração.
O maior partido da oposição refere que a luta do fundador da UNITA "não visava a sua acomodação pessoal, mas sim uma Angola dignificante para todos”.

"O Dr. Savimbi concebeu uma Angola plural, na dimensão humana, social e cultural, contrariando aqueles que se arrogavam em  ver Angola como uma entidade  monolítica”, acentua. Acrescenta que "relembrar a morte em combate do Dr. Jonas Savimbi é refrescar a nossa memória colectiva sobre o seu contributo por Angola e pelos angolanos, onde a dignificação do homem simples e a sua elevação a cidadão foi sempre a sua prioridade”.

Jonas Savimbi nasceu a 3 de Agosto de 1934. Em 1961 militou na UPA/FNLA, mas rompeu com a direcção deste movimento em 1964. Entre 1964 e 1965 desenvolve uma intensa actividade de mobilização de apoios diplomáticos e recrutamento de seguidores, partindo para a China, onde treina com mais 11 companheiros, com quem fundou a UNITA aos 13 de Março de 1966, em Muangai, província do Moxico.
Foi um dos subscritores do Acordo de Alvor, em Janeiro de 1975, juntamente com Agostinho Neto e Holden Roberto, que definiu as bases para a Independência de Angola.