Educação
08 Julho de 2021 | 15h34

Campus Universitário da Catumbela vai receber unidades da Katyavala Bwila

O Campus Universitário, em construção há alguns anos no município da Catumbela, província de Benguela, vai albergar brevemente o Instituto Superior Politécnico e a Faculdade de Medicina da Universidade Katyavala Bwila.

Enquadrada no Plano de Desenvolvimento Institucional da UKB para 2013/2023, a intenção foi reafirmada nesta quinta-feira, durante uma visita do governador provincial de Benguela, Luís Nunes, à instituição, que incluiu as faculdades de Medicina, Economia e de Direito.

O Campus, cuja obra de construção está já executada na ordem de 70 por cento, tem já 14 salas de aula e mais 10 laboratórios para o pólo das engenharias. Quando estiver em funcionamento pleno, pode vir a albergar cerca de 1200 estudantes.

Segundo o governador Luís Nunes, há necessidade de se resolver o problema da degradação das estruturas em que funcionam as unidades da UKB, devido ao facto de serem pré-fabricadas e estarem a sofrer com o impacto da salinidade, nos últimos anos.

Os problemas que estão a afectar o funcionamento do ensino superior na região vão merecer, para já, a atenção do Governo Provincial de Benguela, como reiterou o governante, que espera ver melhoradas as condições de ensino.

A propósito, o governador visitará, no início da próxima semana, as obras do Campus Universitário da Catumbela para, como antecipou, ver a possibilidade de abertura daquela infra-estrutura, para transferência inicialmente do Instituto Superior Politécnico.

Para além do Instituto Superior Politécnico, disse que pretende também ver se as infra-estruturas lá existentes podem acolher uma ou duas faculdades da Universidade Katyavala Bwila, uma vez que a estrutura do Campus é vasta.

Já o reitor da Universidade Katyavala Bwila, Albano Ferreira, considera as obras "praticamente terminadas", referindo que, com as devidas adaptações, as infra-estruturas podem ser uma alternativa para albergar imediatamente duas unidades orgânicas da instituição.

A expectativa, frisou, é a de que a obra possa vir a ser entregue o mais depressa quanto possível e o imóvel esteja disponível para dar respostas à degradação a que se assiste nas infra-estruturas actuais, que funcionam na cidade de Benguela.

Entre os cursos a leccionar no Campus, estão os de engenharia mecânica, ciências de computação, engenharia de gestão, logística e transporte, já que, segundo o reitor, o campus satisfaz a demanda de laboratórios e oficinas de grande porte.

Estudantes universitários numa sala de conferências © Fotografia por: Kinda kyungu

Fonte: ANGOP