Saúde
23 Setembro de 2022 | 16h21

Autoridades sanitárias controlam mais de dez mil doentes de HIV/Sida em Benguela

Dez mil e cento e oitenta e quatro pessoas vivem actualmente com o HIV/Sida na província de Benguela, informou hoje, sexta-feira, a supervisora do programa local de combate à doença, Victória Santa Rosa.

Segundo a médica, que falava à ANGOP, destes doentes, nove mil e 671 são cidadãos com mais de 15 anos de idade, enquanto 513 são menores de 15 anos.

Victória Santa Rosa informou que,  no primeiro semestre deste ano, foram feitos 69 mil e 130 testes, dos quais resultaram mil e 598 seropositivos, uma taxa de positividade de 2,3 por cento.

No mesmo período de 2021, foram testadas 87 mil e 38 pessoas, das quais se obteve um total de mil e 954 seropositivos, correspondente a uma taxa de 2,2 por cento.

Falando concretamente sobre os municípios, disse, apesar de não ter avançado a cifra, que o  lidera em termos de seroprevalência, cujo acompanhamento tem contado com a colaboração do Hospital da Nossa Senhora da Paz (Católico), no que toca aos serviços virados para a co-infecção da tuberculose e HIV/SIDA.

"Nesta perspectiva, temos sido capazes de realizar o acompanhamento psicológico daqueles utentes que insistem no comportamento de risco, nomeadamente a  prática de exercício sexual sem o uso de preservativo e  substâncias alcoólicas”, referiu.

Questionada sobre a faixa mais activa sexualmente, informou que se situa entre os 20 e os 45 anos de idade.

"A esperança de vida de um soropositivo é igual a da população em geral, porém tem de ter um estilo de vida saudável”, aconselhou.

Referindo-se sobre as crianças, a supervisora disse que estas e as suas mães têm tido o apoio das Administrações municipais  e maternidades, com a recepção de kits no âmbito do programa "Nascer Livre para brilhar”, um projecto que está implementado nos 10 municípios da província.

No primeiro semestre deste ano, foram acompanhadas 238 crianças, enquanto que no mesmo período do ano passado, 297 beneficiaram de acompanhamento.

"As crianças expostas com desfecho negativo por teste rápido foram 139, este ano, e 113 no ano passado.

Quanto ao stock de anti-retrovirais, disse não haver problemas porque têm o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), como principal doador.

Ainda sobre o apoio, informou que tem havido  intervenções das clínicas privadas e também de organizações de saúde pública de Benguela, da sociedade civil, nomeadamente a "Mother 2 Mother”, e a Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), na componente do aconselhamento,

Victória Santa Rosa recomendou a adesão ao tratamento anti-retroviral, alimentação saudável, abster-se do uso de substâncias alcoólicas e seguir a prática do exercício sexual com o uso correcto do preservativo.

Fonte: Angop