Saúde
25 Novembro de 2021 | 15h10

Angola regista mais de mil novos casos de câncer anualmente

Mil e 500 novos casos de câncer são registados anualmente no país, pelo Instituto Angolano de Controlo de Câncer (IACC), deu a conhecer, esta quinta-feira, em Luanda, o director da instituição, Fernando Miguel.

Em declarações à Angop, à margem da abertura das IV Jornadas Científicas sobre "Marco actual e futuro do IACC”, o responsável avançou que dos dados recolhidos, destacam-se a prevalência dos cancros da mama, do colo do útero, da próstata e o da pele.

No que refere ao tratamento da doença, o responsável referiu que o Instituto dispõe de quatro mecanismos: radioterapia, quimioterapia, hemoterapia e a cirurgia.

Actualmente, o Instituto Angolano de Controlo do Câncer (IACC) controla cerca de seis mil e 500 casos de pacientes com câncer.

Fernando Miguel referiu ainda que a doença como tal, deixou de ser um tabu para a sociedade, devido aos constantes actos de divulgação da informação, facto que leva ao diagnóstico precoce da doença em certas circunstâncias.

Avançou ainda como possíveis causas do aumento dos casos de câncer, a mudança dos usos e costumes, com adopção de hábitos ocidentais, o tabagismo, a obesidade e o uso excessivo de bebidas alcoólica.

Segundo o director existe uma forte colaboração entre o IACC e outras instituições de saúde a nível nacional para o acompanhamento dos casos de câncer diagnosticados, uma vez que a doença oncológica exige uma abordagem multidisciplinar, tendo em conta os vários ângulos de diagnóstico.

Neste contexto, Fernando Miguel, justifica que o IV Jornadas Científicas sobre "Marco actual e futuro do IACC”, visa actualizar os profissionais em matéria científica e aperfeiçoar a eficiência do trabalho, desde enfermeiros, psicólogos, médicos e técnicos de diagnóstico.

Para o psicólogo Milton Barros, convidado a dissertar sobre o tema "Stress nos profissionais de saúde e sua influência no atendimento dos utentes”, as jornadas vão servir para a reflexão sobre os métodos de atendimento ao utente, desde a sua abordagem, diagnóstico e encaminhamento, com vista a não constituir uma fonte de stress para o profissional e o doente.

Durante o encontro, de dois dias, serão ainda abordados, dentre outros temas  "A actuação do enfermeiro na prevenção primária do câncer da mama no IACC”, "Cuidados paliativo em pacientes oncológicos”, "Diagnóstico e tratamento do cancro gástrico” e "Urgências rádio-oncológicas”. 

Fonte: ANGOP