Ciência
23 Setembro de 2022 | 16h31

Alergia ao pólen: o que é e como prevenir as crises?

O pólen é uma substância completamente natural. Produzido pelas flores das árvores, pela grama e até pelas ervas daninhas, é através desse pó muito fino que ocorre a polinização, processo no qual um vegetal fertiliza os outros da sua espécie.

Mas esse produto tão inocente da mãe natureza pode ser uma pedra no sapato na vida de alguns seres humanos. É porque existem pessoas que têm alergia a essas partículas. Saiba mais sobre os problemas que o pólen pode causar e como evitá-los.

As alergias não são nada mais do que respostas, às vezes exageradas, do nosso sistema imunológico contra qualquer coisa que, para ele, possa ser um invasor. Isso inclui agentes nocivos como vírus e bactérias, ou substância tóxicas.

pólen

O que causa a alergia ao pólen?

Mas, seja por falta de contato, seja por algum defeito do organismo, a imunidade pode lançar seu batalhão de anticorpos sobre alvos inocentes, como o pólen das árvores, e assim é o estopim de uma guerra química que ocorre dentro de nós.

Para nos defender, o corpo excreta algumas substâncias, entre elas a histamina. Essa molécula é a grande responsável pelos sintomas que conhecemos por reação alérgica:  espirros, nariz entupido e olhos lacrimejantes.

A intensidade e frequência das crises alérgicas de quem sofre com o pólen depende de vários fatores, como período do ano e região onde vive. Esses são, precisamente, os fatores que determinam o período fértil das plantas.

Por exemplo, quem vive nas grandes cidades, pode passar o ano inteiro longe de árvores e sem crises de espirros. Por outro lado, morar em um bairro mais arborizado pode levar ao convívio com o nariz entupido.

Isso vale para a estação. Na maioria dos países do mundo, é na primavera que as flores desabrocham, liberando o fértil pó que irá gerar nova vida e incomodar novos narizes.

Quais os sintomas da alergia?

Alguns sinais da alergia são claros, como o nariz entupido e os espirros recorrentes. Apesar disso, esses sintomas são genéricos e podem ser causados por uma série de substâncias. Por isso, o paciente deve ficar atento ao redor, para identificar se tem convivido com muito pólen no período.

Outros sintomas incluem:

  • coceira na garganta, céu da boca ou ouvido
  • rinite alérgica
  • pressão sinusal
  • dor de cabeça
  • pele inchada
  • cor azulada sob os olhos
  • perda de olfato e paladar
  • reações asmáticas

A qualquer sinal de sintoma, principalmente aqueles mais graves, é preciso buscar um alergista, médico especialista no assunto. Ele irá administrar um teste confiável para determinar a causa dos problemas e, se necessário, receitar os melhores medicamentos.

Como posso tratar a alergia ao pólen?

Normalmente, em casos de alergia, os médicos receitam anti-histamínicos, que são capazes de reduzir os sintomas como espirros e coceira a longo prazo. Uma alternativa, no caso da reação ao pólen, é o uso de spray nasal para limpar o nariz.

Descongestionantes também ajudam a desentupir as narinas, mas não ajudam a reduzir a inflamação alérgica. Para pacientes com sintomas graves, podem ser receitados corticosteroides em último caso.

Asmáticos, em geral, estão mais vulneráveis ao problema, e por isso necessitam redobrar a atenção para o tratamento normal da doença. Em alguns casos, a imunoterapia é capaz de baixar as defesas do sistema imunológico e reduzir drasticamente a alergia.

Como evitar a alergia?

As reações alérgicas são causadas pelo contato com a substância que o corpo entende como nociva, o alérgeno, que nesse caso, se trata do pólen. Para evitar o problema, portanto, tudo o que é necessário é passar longe dessa substância.

polen

Mas nem tudo é tão fácil, já que as plantas encontraram, durante anos de evolução, uma maneira de espalhar essas partículas pelos lugares mais improváveis. O melhor que podem esperar, portanto, é evitá-lo, e isso pode ser feito com alguns poucos passos:

  • evite sair de casa em dias ventosos, já que a substância se espalha mais
  • mantenha a casa fechada em épocas de flores
  • use máscaras em espaços abertos
  • verifique regularmente a contagem de pólen onde você mora, se houver

A alergia ao grão de pólen pode ser um verdadeiro contratempo na vida de muitas pessoas, causando espirros, nariz entupido, olhos lacrimejantes e muita dor de cabeça. Mas não precisa ser assim. O tratamento para o problema costuma ser simples.

Além disso, com poucas atitudes cotidianas, é possível passar o ano inteiro longe do problema e, nos casos mais graves, uma mãozinha da medicina é tudo o que precisamos para respirar aliviados outra vez.

Fonte: TecMundo